TCU afirma que processos de desestatização de portos ainda precisam de aprimoramento

Por Kamila Farias

O ministro do Tribunal de Contas da União – TCU Bruno Dantas apresentou três relatórios no Plenário sobre processos referentes ao primeiro estágio de desestatização em portos, na forma de arrendamento.

São eles: o processo que trata do segundo terminal de movimentação de veículos no Porto de Paranaguá, no Paraná – TC 021.243/2017-4; outro trata de terminais de carga situados nos portos de Itaqui, no Maranhão, e de Paranaguá – TC 021.244/2017-0; o terceiro processo se refere a terminal voltado à movimentação e armazenamento de cavacos de madeira a granel no Porto de Santana, no Amapá – TC 029.910/2017-0.

No caso do primeiro processo, com previsão de investimentos de R$ 80 milhões, foi determinado ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil e à Agência Nacional de Transportes Aquaviários – Antaq que, nos próximos processos sejam disponibilizadas informações para uma maior compreensão sobre os objetivos, as metodologias e o porquê da escolha pela desestatização. A Antaq também terá de enviar ao TCU, no prazo de 90 dias, plano de ação com a identificação dos responsáveis, produtos, prazos e próximos passos de desenvolvimento do plano de contabilidade.

Já o terminal do Porto de Itaqui, que tem valor total de investimentos previstos de R$ 214,873 milhões, o Tribunal determinou ao Ministério e à Antaq que, para os próximos certames, sejam encaminhados Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental que estejam acompanhados de termos de referência, relatórios e notas técnicas que contenham informações detalhadas das premissas e metodologias utilizadas nos estudos, das fontes de informações e de dados de preços e custos de obras, equipamentos e despesas operacionais; entre outros.

Quanto ao Porto de Santana, no qual serão necessários cerca de R$ 60 milhões em investimentos, o TCU não detectou irregularidades ou impropriedades que desaconselhem o regular prosseguimento do processo concessório.

Comentário do advogado Victor Scholze: atualmente, segundo a Secretaria de Portos da Presidência da República, 95% do volume das exportações brasileiras são realizadas por meio marítimo, o que denota a importância de estruturação jurídica para o crescimento do setor nacional. Ainda, cerca de 80% do Produto Interno Nacional – PIB encontram-se nas unidades da federação com acesso à costa marítima. Por isso, foi lançado o Plano Nacional de Logística Portuária – PNLP, que é um instrumento de planejamento estratégico. O PNLP projeta um crescimento de 103% na demanda de movimentação de carga nos portos brasileiros até 2042. O projeto de arrendamento dos portos é composto de 93 áreas, para as quais se prevê R$ 16,24 bilhões de investimentos que devem acrescentar capacidade de movimentar 319 milhões de toneladas por ano nos portos.

Assim, com a prévia fiscalização do TCU, o risco de insucesso das licitações se mostra bastante reduzido. O TCU avalia em relação aos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental, em relação à realização de pré-qualificação, análise das minutas dos editais de licitação e contratos, considerando, inclusive, as impugnações e devidas respostas. Avalia também o julgamento e o encerramento dos certames, ao passo que o quarto e último passo cuida da fiscalização do ato de outorga e da assinatura do contrato.

Com informações do portal do TCU.

Últimas Notícias

Governo anuncia nova pauta prioritária no Congresso e sinaliza possível votação da nova Lei de Licitações

20/02/2018
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou ontem, 19, uma lista de 15 projetos na área econômica que... Leia Mais

Código de Conduta regula relações de servidores com empresas estrangeiras

16/02/2018
por J. U. Jacoby Fernandes Imprimir uma conduta ética em todas as suas atribuições é um dever do servidor... Leia Mais

Deputado quer alterar Lei das Estatais para limitar dispensa de licitação

15/02/2018
Em tramitação na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei nº 8.183/2017, do deputado João Daniel (PT/SE), dispõe que... Leia Mais

Nossos Contatos

Endereço do escritório

SHIS QL 12, Conjunto 4, Casa 20, Península dos Ministros - Lago Sul - Brasília/DF - CEP: 71.630-245

Só atendemos com hora marcada

Ligue e agende seu horário

+55 (61) 3366-1206

Nome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Mensagem