Álvaro Costa: “empresas do DF devem implementar seus programas de compliance para contratar com o GDF”

Publicado em: 07/05/2018

O advogado especialista em Compliance Álvaro Costa, do escritório Jacoby Fernandes & Reolon Advogados Associados – JFR/AA participou do Seminário sobre a Regulamentação da Lei de Compliance no âmbito do Distrito Federal, realizado na sede Ordem dos Advogados do Brasil no DF – OAB/DF.

Álvaro foi um dos palestrantes e destacou que a edição da Lei nº 12.846/2013, a Lei Anticorrupção, representou um marco entre as relações estabelecidas entre Poder Público e iniciativa privada. “A norma trouxe um novo parâmetro fixado, com vistas a coibir atos contrários à lisura das relações nos processos de contratações públicas. A partir da edição, as pessoas jurídicas passaram a ter um marco de adequação de suas ações para que não ultrapassassem os limites legais e pudessem sofrer sanções por parte da Administração. Fortaleceram-se, então, os programas de compliance”, explicou Álvaro Miranda.

Para Álvaro Costa, em 2016, com a promulgação da Lei Federal nº 13.303/2016, novamente o assunto veio à tona, sendo uma obrigação imposta pelo legislador que as empresas estatais possuam minimamente uma estrutura de um programa de integridade. “É bastante óbvio, pois, que o cenário que vem se construindo ao longo do tempo no País esta atraindo a cultura do compliance para dentro da realidade das contratações públicas”, afirmou.

 

Lei Distrital nº 6.112/2018 – Compliance no DF

Na ocasião, o advogado elogiou a norma do DF, Lei nº 6.112/2018, que trata da implementação das normas de compliance nas contratações públicas realizadas. “Mais do que isso, trouxe regras claras a respeito de como deve se dar essa nova relação, incluindo requisitos objetivos de apresentação pelos fornecedores e avaliação pelos gestores públicos. Ao inserir o compliance já no ambiente da relação contratual, a norma evitou uma grande burocratização nos processos licitatórios e atingiu a finalidade”, destacou.

Álvaro Costa destacou a experiência que vem tendo nessa área e a relevância do assunto para as empresas que desejam contratar com a administração do DF. “A partir da Lei nº 6.112/2018, passou a ser obrigatório que a empresa possua normas éticas para poder contratar com o Poder Público. Então, o empresário que tem o interesse em ser fornecedor do GDF precisa, necessariamente, elaborar a sua política de compliance”, concluiu Álvaro Costa.

 

Últimas Notícias

TCU decide que policiais podem contar tempo de carreira militar para se aposentar

26/05/2020
O TCU decidiu que servidores da Polícia Federal que já foram militares poderão utilizar o tempo de atividade nas... Leia Mais

Palestras em Brasília e no Rio de Janeiro abordarão novos cenários para os conselhos profissionais do país

29/10/2019
Duas novas oportunidades para o debate sobre as alterações normativas para os Conselhos de Fiscalização das Profissões do país... Leia Mais

TCU evoluiu a partir da atuação dos advogados, diz ministro André Luiz

10/10/2019
Afirmação foi feita durante debate sobre atuação dos conselhos profissionais no Instituto Protege. PEC 108 segue na Câmara com... Leia Mais

Nossos Contatos

Endereço do escritório

SHIS QL 12, Conjunto 4, Casa 20, Península dos Ministros - Lago Sul - Brasília/DF - CEP: 71.630-245

Só atendemos com hora marcada

Ligue e agende seu horário

+55 (61) 3366-1206

NÃO RECEBEMOS CURRÍCULOS FORA DE PROCESSOS SELETIVOS.
TEM INTERESSE EM TRABALHAR CONOSCO?

Siga-nos nas redes sociais para acompanhar eventuais vagas disponíveis:

Nome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Mensagem

[recaptcha]