Comissão aprova projeto de modernização da Lei de Licitações

Publicado em: 06/12/2018

por Alveni Lisboa

Após muitas tentativas e mudanças no parecer do relator, finalmente a Comissão Especial que analisava mudanças na Lei de Licitações aprovou o substitutivo do deputado João Arruda (MDB-PR). A proposta foi apreciada em reunião realizada ontem, 5, pelos deputados integrantes da comissão. Com aprovação, o projeto seguirá para o plenário da Câmara e, caso avance, retornará para o Senado.

O texto aprovado na comissão especial consolida todas as normas para as licitações existentes, revogando a Lei de Licitações – Lei nº 8.666/1993 –, a Lei do Pregão – Lei nº 10.520/2002 – e o Regime Diferenciado de Contratações – Lei nº 12.462/2011. Extingue o RDC, a tomada de preços e o convite, este último muito criticado por especialistas em razão da sua fragilidade. Por outro lado, a proposta cria o chamado “Diálogo Competitivo”, no qual o poder público precisa contratar um serviço muito específico ou técnico em que não há um leque muito grande de empresas especializadas. Nesse caso, as empresas são convidadas a participar da licitação e apresentam suas propostas, que podem ser negociadas.

Clique aqui e baixe a versão (substitutivo) aprovada pela Comissão Especial da Câmara.

Nas últimas versões do parecer, o relator realizou diversas modificações para agradar ao setor de arquitetura, urbanismo e construção civil. O projeto básico, por exemplo, agora precisa conter diversos estudos como requisito mínimo para início das obras. Outra mudança foi no dispositivo que trata das obras de grande vulto: de R$ 100 milhões para R$ 200 milhões, com a possibilidade de contratação de seguro para garantir a conclusão das obras em até 30% do valor.

Comentários do advogado Murilo Jacoby: já no apagar das luzes de 2018, eis que somos presenteados com essa boa notícia. A nova lei de licitações é fruto de intensos debates e de uma construção social coletiva. Foi amplamente debatido no Senado e aprovado a partir do substitutivo da então senadora Katia Abreu. Depois, veio para a Câmara e também foi bastante modificado para que se chegasse a um consenso. Inicialmente, a proposta foi criticada pelo setor da construção civil em razão de manter diversos dispositivos do RDC. O deputado João Arruda, no entanto, buscou dialogar com todos os lados envolvidos para apresentar uma proposta alinhada com a eficientização, a modernização e, principalmente, o combate à corrupção.

Agora, é contar com o trabalho de conscientização dos parlamentares para que a Presidência da Câmara coloque o projeto em votação no Plenário. Como a proposta ainda retornará ao Senado, podemos ter novas rodadas de debates e estaremos atentos acompanhando tudo de perto.

Com informações da Agência Câmara.

Últimas Notícias

Justiça condena Secretaria de Portos a indenizar empresa prestadora de serviço

22/02/2019
A ação foi movida pelo escritório Jacoby Fernandes & Reolon Advogados Associados, representando a empresa Van Oord, a executora dos... Leia Mais

Processo seletivo para contratar técnico em informática para atuar em Brasília/DF

19/02/2019
A vaga é para atuar na sede do escritório, no Lago Sul. O interessado deve ter noções de helpdesk... Leia Mais

Atestado falso de ME/EEP configura fraude à licitação, afirma TCU

14/02/2019
por Alveni Lisboa A mera participação de licitante como microempresa ou empresa de pequeno porte, amparada por declaração com... Leia Mais

Nossos Contatos

Endereço do escritório

SHIS QL 12, Conjunto 4, Casa 20, Península dos Ministros - Lago Sul - Brasília/DF - CEP: 71.630-245

Só atendemos com hora marcada

Ligue e agende seu horário

+55 (61) 3366-1206

NÃO RECEBEMOS CURRÍCULOS FORA DE PROCESSOS SELETIVOS.
TEM INTERESSE EM TRABALHAR CONOSCO?

Siga-nos nas redes sociais para acompanhar eventuais vagas disponíveis:

Nome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Mensagem

[recaptcha]