Presidente do TCU se posiciona sobre mudanças na Lei de Licitações

Publicado em: 15/06/2018

O presidente do Tribunal de Contas da União – TCU, ministro Raimundo Carreiro, divulgou ontem, 14, durante realização de sessão plenária, o seu posicionamento e informações complementares sobre o trabalho desenvolvido pela Comissão Especial de Modernização da Lei de Licitações. Os deputados discutem alterações no modelo atual com base no Projeto de Lei nº 1.292/1995, no Projeto de Lei nº 6814/2017 e outros, que alteram a Lei de Licitações. O relator, deputado João Arruda (MDB-PR), já está com o parecer pronto, mas os integrantes da comissão têm adiado a análise da proposta há pelo menos três semanas.

No comunicado de ontem, Carreiro reforçou a necessidade de se empreender mudanças na legislação atual e enalteceu os esforços que o TCU tem feito para fornecer subsídios à Comissão Especial da Câmara dos Deputados. De acordo com o presidente, o órgão tem contribuído com informações técnicas e sugestões para que proposição legislativa traga “substancial melhora às licitações e contratações públicas, com a inserção de práticas inovadoras”.

Nas duas reuniões de que participou com o relator e o presidente da Comissão Especial, o ministro apresentou e discutiu pareceres emitidos pela Consultoria Jurídica e por grupo de trabalho constituído no TCU para analisar os PLs. João Arruda, contudo, decidiu apresentar um texto substitutivo que traz significativas mudanças na proposição original. Diante disso, a Presidência da Corte encaminhou ao relator uma síntese crítica levando em consideração as novas alterações.

A Comissão Especial deverá se reunir na próxima terça-feira, 19, para mais uma vez tentar votar o substitutivo do relator. A reunião deliberativa está marcada para 14h30, no Plenário 14 do Anexo II da Câmara dos Deputados.

Comentários do advogado Murilo Jacoby: a colaboração do TCU é fundamental para a construção do novo marco regulatório das licitações brasileiras. Afinal, o órgão de contas é a principal referência na aplicação do instrumento legal e possui um corpo técnico qualificadíssimo. Na época em que participei de uma das audiências públicas na Câmara, também tive a oportunidade de apresentar minhas considerações sobre o que pensamos ser o melhor para os certames no País.

A morosidade dos parlamentares em analisar o substitutivo começa a preocupar, já que, a partir de julho, quando se inicia efetivamente o período eleitoral, o Congresso entrará em recesso branco, sem votações ou reuniões de comissões. Portanto, se a matéria não for analisada até o final do mês, provavelmente ficará esquecida até novembro – em uma perspectiva otimista – ou para 2019.

Com informações do portal do TCU.

Últimas Notícias

Processo seletivo para Advogado Associado para Brasília/DF

17/10/2018
Para dar continuidade à excelência dos trabalhos em 2018, a Jacoby Fernandes & Reolon Advogados Associados – JFR/AA abriu... Leia Mais

Não prestação de contas gera condenação mesmo com obras concluídas, decide TCU

16/10/2018
A não prestação de contas do dinheiro público é motivo para a responsabilização de gestor. Essa foi a decisão... Leia Mais

STJ estabelece termo inicial da correção monetária para ressarcimento

10/10/2018
por Alveni Lisboa A 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça – STJ entendeu que a correção monetária para... Leia Mais

Nossos Contatos

Endereço do escritório

SHIS QL 12, Conjunto 4, Casa 20, Península dos Ministros - Lago Sul - Brasília/DF - CEP: 71.630-245

Só atendemos com hora marcada

Ligue e agende seu horário

+55 (61) 3366-1206

NÃO RECEBEMOS CURRÍCULOS FORA DE PROCESSOS SELETIVOS.
TEM INTERESSE EM TRABALHAR CONOSCO?

Siga-nos nas redes sociais para acompanhar eventuais vagas disponíveis:

Nome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Mensagem